terça-feira, 23 de janeiro de 2018

[Copa da França 17/18] 16 avos de final - Monaco x Lyon

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


FOTO: asmfoot.fr

Depois de uma vitória importantíssima diante do PSG pela Ligue 1, o Lyon não tem sossego. Volta aos gramados três dias depois, já nesta quarta-feira, para enfrentar mais um grande time francês: o Monaco. Mas desta vez, o Campeonato Francês dá uma pausa. O jogo é pela Copa da França, um mata-mata de apenas um jogo que dá vaga direta para as oitavas de final da competição. Com objetivos semelhantes no torneio, os dois clubes já deram indicativos de que devem poupar atletas para o duelo.

Leonardo Jardim, inclusive, foi enfático ao dizer que, vai sim, mesclar seu time, já começando pelo goleiro. Subasic, que é titular absoluto do elenco, sequer foi relacionado. É possível que o suíço Diego Benaglio comece jogando. Além disso, o técnico português não tem a sua disposição os brasileiros Jorge e Jemerson, machucados. Traoré, Diakaby e Carrillo também fecham a lista dos desfalques monegascos. Por outro lado, Serrano e Sylla, dois jovens da base, foram relacionados.

Pelo Lyon, nenhum indicativo real de que atletas serão poupados, mas isso é bem possível que aconteça. Bertrand Traoré, por exemplo, deve começar jogando. Como Génésio não tem nenhum desfalque, relacionou suas principais peças e fica difícil prever um cenário. No entanto, é bem possível que nomes como Diakhaby, Ferri e Gorgelin também ganhem mais oportunidades. Tousart, Rafael e Cornet, que terminaram o exaustivo jogo contra o PSG com dores, possivelmente serão preservados.

O confronto entre Monaco e Lyon acontece nesta quarta-feira (23/01), às 18h05 do horário de verão de Brasília. No Brasil, a Fox Sports deve transmitir a partida, ao vivo. Abaixo, confira os relacionados pelos dois times.



LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: Fernando MARÇAL, Ferland MENDY, Kenny TETE e RAFAEL;
ZAGUEIROS: Jérémy MOREL, Mouctar DIAKHABY e MARCELO;
VOLANTES: Tanguy N'DOMBÉLÉ, Jordan FERRI e Lucas TOUSART;
MEIAS: Houssem AOUAR e Nabil FEKIR;
ATACANTES: MEMPHIS Depay, Maxwel CORNET, MARIANO Diaz, Bertrand TRAORÉ e Amine GOUIRI;
TÉCNICO: Bruno GÉNÉSIO;
DESFALQUES: Nenhum



MONACO:

GOLEIROS: Seydou SY e Diego BENAGLIO;
LATERAIS: Almany TOURÉ Julien SERRANO e Djibril SIDIBÉ;
ZAGUEIROS: Kamil GLIK e Andrea RAGGI;
VOLANTES: FABINHO, João MOUTINHO e Kévin N'DORAM e Youri TIELEMANS;
MEIAS: Gabriel BOSCHILIA, Thomas LEMAR, Jordi M'BOULA, Rachid GHEZZAL, Keitá BALDÉ e Rony LOPES;
ATACANTES: Radamel FALCAO GARCÍA, Moussa SYLLA e Stevan JOVETIC;
TÉCNICO: Leonardo JARDIM;
DESFALQUESJORGE, JEMERSON, Adama TRAORÉ, Adama DIAKHABY e Guido CARRILLO


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

domingo, 21 de janeiro de 2018

Com golaços de Fekir e Memphis Depay, Lyon destrona o pomposo PSG

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Time de Paris jogou sem Neymar e perdeu Mbappé no primeiro tempo por lesão. No segundo tempo, com Dani Alves expulso, as coisas melhoraram para o OL, que fez o que tinha que ser feito




Jogo mais importante da 22ª rodada: o Lyon recebia o Paris Saint-Germain no Groupama Stadium para mexer de forma categórica na parte de cima da tabela. A lógica não era difícil entender: com o Marseille e o Monaco já vencendo na rodada, o Lyon tinha a obrigação de bater o PSG para não terminar o fim de semana na quarta colocação. Em caso de vitória, o OL não só se mantinha na vice-liderança, como também diminuiria a distância para os parisienses em “apenas” oito pontos – o que aconteceu. Já em caso de derrota, o Lyon ficaria a simplesmente 14 pontos dos líderes: ou seja, era jogo de seis pontos.

Para receber os pomposos e bilionários adversários, Bruno Génésio tinha uma vantagem debaixo do braço que poderia ser bastante interessante: ele não tinha quaisquer desfalques para o duelo. Com todos os nomes a sua disposição, o treinador não ousou muito. Armou o time no 4-3-3, com a mesma formação que entrou diante do Guingamp na última quarta-feira. Ou seja: Rafael, Mendy, Ndombélé e Aouar começando de titular, deixando nomes como Tete, Marçal, Memphis Depay e Bertrand Traoré iniciando no banco de reservas. Na imagem abaixo, é possível ver como ficou a formação dos 11 iniciais do OL:




Já o PSG tinha alguns desfalques. Nomes importantes como Thiago Motta e Ben Arfa, mas nomes decisivos, como simplesmente Neymar. Essa a ausência do brasileiro era o segundo trunfo do Lyon, já que o Paris perdia muita força ofensiva com a ausência do craque. Ainda assim, com um elenco recheado de ótimos jogadores, Unai Emery decidiu formar um trio de ataque com Di María, Cavani e Mbappé. Pastore, que voltava de uma punição interna por atrasar seu retorno das festas de fim de ano, começava no banco. Lo Celso, mais uma vez, começava como titular... e de volante. Abaixo, você vê como ficou o PSG sem Neymar:




Antes da bola rolar, uma bonita homenagem foi feita no gramado do Groupama Stadium para Paul Bocuse, o lendário chef de cozinha francês, torcedor do Lyon, considerado o “Papa da gastronomia” do país, que faleceu aos 91 anos nesta semana. A bonita homenagem não atrapalhou o barulho intenso que fazia a torcida do OL no estádio e que rapidamente foi correspondida logo no início de jogo.

Isso aconteceu por um motivo: Fekir abriu o placar aos dois minutos de jogo. Em cobrança de falta magistral, que acertou o ângulo esquerdo de Areola, que não conseguiu alcançar o potente e calibrado pé do capitão do OL. Placar aberto logo cedo para explosão de delírio do estádio. Alguns minutos depois, o Lyon quase ampliou, quando Mendy conseguiu penetrar na área, mas foi desarmado no último instante.

Ainda no começo da partida, o PSG tentou descontar. Cavani aproveitou uma saída estranha de Lopes, que foi dividir bola na entrada da área e, do meio de campo, tentou arriscar dali mesmo. A bola passou perto, mas saiu a esquerda do gol do goleiro português. No lance seguinte, foi a vez de Di María cobrar falta cruzada e colocar na cabeça de Cavani. Desta vez foi Lopes quem evitou, com fácil defesa.

Perto dos 30’ de jogo, o PSG tentava mais uma incursão ao ataque. Mbappé foi acionado em profundidade, passou entre Morel e Mendy com muita velocidade, mas foi parado por Lopes em uma trombada violenta. O jovem atacante francês ficou no chão por muito tempo recebendo atendimento e acabou tendo que ser substituído. Saiu de maca e imobilizado. Deu lugar a Julian Draxler.

Na segunda metade da etapa inicial, o jogo acabou caindo um pouco de ritmo. O Lyon, segurando o resultado, mas sem se encolher, começava a fazer muitas faltas para quebrar a tentativa de intensidade do adversário. Com um esquema bem montado a sua frente, o time de Paris acabava não tendo muitos recursos e forçava alguns passes longos que não davam em muita coisa, idem ao outro lado. Assim, poucas jogadas eram construídas com o ritmo imposto.

Já nos acréscimos do primeiro tempo, o PSG conseguiu colocar um pouco mais de velocidade em seu jogo. Acuava mais o OL em seu campo de defesa. Em boa jogada de Rabiot no meio, ele abriu espaço, chamou a marcação e viu Dani Alves sozinho na direita. O brasileiro recebeu em profundidade, cruzou pra entrada da área e lá estava Kurzawa pra mandar uma patada de canhota no ângulo. Nem se tivessem dois goleiros dava para segurar. 1 a 1!

Na volta do intervalo, o time de Paris voltou com a mesmíssima postura. Parecia perto do segundo gol do que o Lyon voltar a equilibrar as ações. Era um time que apertava o OL no seu campo de defesa, que esperava recuperar a bola para sair com a velocidade de Ndombélé. No entanto, tudo mudou quando Dani Alves derrubou o mesmo Ndombélé, foi ver o amarelo e falou poucas e boas para o árbitro Clément Turpin, que não pensou duas vezes e lhe deu o vermelho direto.

Com um a menos, Unai Emery precisou mexer forçadamente pela segunda vez. Tirou Di María para recompor seu lado direito com o belga Meunier. E mesmo com um a mais, o Lyon viu Thiago Silva receber cruzamento na área, de Draxler – após furada de Cavani – e quase ser o responsável pela virada. Lopes foi bem. Na resposta, o OL apareceu com Mariano Díaz e muita velocidade. Areola interferiu em boa defesa.

Percebendo que poderia afrouxar um pouco mais na defesa para se lançar ao ataque pela superioridade numérica, Bruno Génésio tirou Aouar – que tinha uma clara função tática na recomposição – e colocou Memphis Depay visando criar um inferninho na esquerda. O Lyon, realmente, conseguiu mudar o cenário do jogo, de certa forma. Era agora quem prendia o adversário no campo de defesa. Mas, ainda assim, era difícil fazer algo além disso.

Depois de mexer bem e fazer a troca mais interessante dentre as mexidas que já tinham acontecido, Bruno Génésio fez bobagem. Na sua segunda substituição, colocou Bertrand Traoré e tirou Mariano Díaz, que era o centroavante que começava a incomodar e também o melhor homem do time em jogadas aéreas. Péssima decisão para uma partida que poderia ficar nas mãos, dependendo de algumas trocas.

O Lyon continuava pressionando, mas pouco. Faltava mais vontade, mais ímpeto, mais sangue para tentar ficar na frente do placar de novo. Parecia incrivelmente satisfeito com o placar empatado, sendo que poderia agarrar as rédeas do jogo, partir pra cima, e incendiar o jogo. Não fez isso e subia de forma protocolar, geralmente com Memphis Depay e com a marcação dobrada. Não era o suficiente.

Clément Turpin deu quatro minutos de acréscimos e parecia que o Lyon continuaria no seu estilo modorrento, se não fosse por um nome: Memphis Depay! Dessa vez, mesmo com a marcação dobrada, o holandês cortou pro meio e, da entrada da área, decidiu bater dali mesmo e foi muito feliz: uma paulada no ângulo para colocar o OL na frente no último segundo de jogo! 2 a 1 e Groupama Stadium foi abaixo. Um golaço. Um jogaço. E uma distância de apenas oito pontos.

Depois de enfrentar o time de Paris, o Lyon agora não tem nem tempo para respirar e enfrenta os atuais campeões franceses: o Monaco. Mas o jogo não é pela Ligue 1. A partida será válida pelos 16 avos da Copa da França. Uma partida única, no Principado, no próximo dia 24 (quarta-feira), às 18h05 do horário de verão de Brasília. Até lá!

FOTOS: olweb.fr
CAMPINHOS: L'Equipe


MELHORES MOMENTOS:


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

[Ligue1 17/18] 22ª rodada - Lyon x PSG

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


FOTO: culturepsg.com

Duelo de gigantes franceses para encerrar a rodada da Ligue 1 neste domingo. O líder mais do que absoluto PSG visita o Groupama Stadium para encarar um Lyon que ainda sonha em colocar água no chope parisiense. A conta é simples: com uma vitória, o OL pode chegar a 48 pontos, diminuindo a distância para o Paris Saint-Germain em oito pontos. Já se o time da capital fizer jus ao seu favoritismo, abrem 14 pontos de diferença e o Marseille, inclusive, fica com a segunda colocação - já que venceu na rodada. Em caso de derrota, o Lyon também poderá ser ultrapassado pelo Monaco, que enfrenta o lanterna Metz também no domingo.

O Lyon tem dois grandes trunfos para tentar bater o PSG nessa 22ª rodada. O primeiro deles é o departamento médico livre. Isso mesmo... O OL vai a campo com força máxima e, por ter todos os nomes a disposição, Bruno Génésio acabou nem relacionando nomes como Mapou Yanga-M'Biwa, Pape Cheik Diop, Clément Grenier, Myziane Maolida e Amine Gouiri. As dúvidas, como sempre, ficam por conta das laterais. Em ambos os lados, como há sempre uma rotação no elenco, não se sabe quem joga. Na frente, também existe perguntas sobre a titularidade de Aouar ou Memphis Depay na esquerda, assim como Traoré ou Cornet na direita. As respostas só teremos uma hora antes do jogo.

O segundo trunfo do Lyon, na verdade, não é um mérito do time... É simplesmente a ausência de Neymar. O craque brasileiro, com dores na coxa, acabou sendo vetado depois de marcar quatro gols na goleada diante do Dijon na última quarta-feira. Além dele, Unai Emery também não terá Thiago Motta e Ben Arfa, que também são desfalques por lesão. Ainda assim, mesmo sem Neymar e os demais, o time do PSG é franco favorito para o duelo em função do fortíssimo elenco recheado de craques.

O confronto entre Lyon e PSG acontece neste domingo (21/01), às 18h do horário de verão de Brasília. No Brasil, o SporTV e a ESPN Brasil devem transmitir a partida, ao vivo. Abaixo, confira os relacionados pelos dois times.



LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: Ferland MENDY, Kenny TETE, Fernando MARÇAL e RAFAEL;
ZAGUEIROS: Jérémy MOREL, Mouctar DIAKHABY e MARCELO;
VOLANTES: Tanguy N'DOMBÉLÉ, Jordan FERRI e Lucas TOUSART;
MEIAS: Houssem AOUAR e Nabil FEKIR;
ATACANTES: MEMPHIS Depay, MARIANO Díaz, Bertrand TRAORÉ e Maxwel CORNET;
TÉCNICO: Bruno GÉNÉSIO;
DESFALQUES: Nenhum



PSG:

GOLEIROS: Alphonse AREOLA e Kevin TRAPP;
LATERAIS: Dani ALVES, Leyvin KURZAWA, Yuri BERCHICHE e Thomas MEUNIER;
ZAGUEIROS: Presnel KIMPEMBÉ, THIAGO SILVA e MARQUINHOS;
VOLANTES: Christopher N'KUNKU, Adrien RABIOT e Marco VERRATTI;
MEIAS: Ángel DI MARÍA, Javier PASTORE, Giovani LO CELSO e Julian DRAXLER;
ATACANTES: Edinson CAVANI e Kylian MBAPPÉ;
TÉCNICO: Unai EMERY;
DESFALQUESTHIAGO MOTTA, Hatem BEN ARFA e NEYMAR


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Pratas da casa brilham e Lyon vence Guingamp com tranquilidade

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Meias Fekir e Aouar marcaram os dois gols da partida e recolocam o OL na segunda colocação da Ligue 1




TEXTO: LanceNet!
O Lyon assumiu a segunda colocação do Campeonato Francês. Nesta quarta-feira, a equipe venceu o Guingamp, fora de casa, por 2 a 0, com gols de Fekir e Aouar. O jogo teve uma peculiaridade: o árbitro Nicolas Rainville foi substituído pelo quarto árbitro Benjamin Lepaysant por conta de problemas médicos.

Agora, o Lyon tem 45 pontos, deixando para trás o Olympique de Marselha, que soma 44, e o Monaco, que tropeçou na rodada e tem 43. Já o Guingamp está em sétimo, com 29.

No Stade du Roudourou, o Lyon jogou melhor e controlou as ações, abrindo o placar aos 25 minutos. Após cruzamento da esquerda, a bola passou por todo mundo e sobrou do lado direito com Cornet, que rolou para Fekir marcar o primeiro.




A vantagem não tirou o ímpeto do Lyon, que perdeu algumas boas chances ainda no primeiro tempo. Na volta do intervalo, o Guingamp ensaiou uma reação e rondou a área adversária. Mas os visitantes colocaram ordem na casa e chegaram ao segundo gol aos 12, com Aouar.

Após dobrar o marcador, o Lyon controlou totalmente as ações e acumulou oportunidades desperdiçadas. Mariano Díaz chegou a colocar uma bola na trave e o goleiro Johnsson apareceu bem, com boas defesas.



TEXTO: LanceNet!
FOTOS: olweb.fr


Lyon (4-2-3-1): Lopes | Rafael, Marcelo, Morel e Mendy | Tousart (Traoré, 88') e Ndombélé (Ferri, 74') | Cornet, Fekir e Aouar | Mariano Díaz (Gouiri, 81')

Guingamp (4-2-3-1): Johnsson | Ikoko, Kerbrat, Sorbon e Tabanou | Diallo (N'Gbakotto, 67') e Blas | Salibur, Benezet (Giresse, 82') e Briand | Thuram (Phiri, 53')

Gols: Fekir (26') e Aouar (58')


MELHORES MOMENTOS:

Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

[Ligue1 17/18] 21ª rodada - Guingamp x Lyon

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


FOTO: Reprodução/YouTube

A briga entre "humanos" na Ligue 1 continua a todo vapor. Depois de Lyon e Monaco tropeçarem no final de semana, o Marseille aproveitou a brecha e encostou, parelho em pontos. Mas a 21ª rodada já começou nesta terça-feira com mais surpresas. O Monaco não saiu do empate com o Nice e o Marseille venceu o Strasbourg. Caso o Lyon não vença o Guingamp, fora de casa, nesta quarta, o OM assume a vice-liderança de forma provisória.

Quem pode ajudar o time marselhês nesse feito são os comandados de Antoine Kombouaré. O técnico do Guingamp vem fazendo ótima campanha, na 7ª colocação, podendo passar o Nice, atual 6º lugar, caso vença o OL. Seria um feito e tanto, já que seu time vem com muitos desfalques. Suspenso, apenas Lucas Deaux. Jonathan Martins Pereira está voltando de lesão e ainda não tem condições de jogo, mas o DM se completa com o goleiro Petric, o meia Camara e o atacante Marcus Coco.

Já Bruno Génésio tem excelentes notícias vindas do seu departamento médico. Finalmente Bertrand Traoré e Mariano Díaz já podem voltar e estão relacionados para a partida, podendo ter a oportunidade de começar jogando, dependendo do desempenho que tiveram nos treinamentos dos dois últimos dias. A titularidade de ambos será decidida apenas horas antes do jogo pelo treinador. Por outro lado, com dores na panturrilha, o brasileiro Fernando Marçal, que foi titular na lateral esquerda do último domingo, acabou não tendo condições de jogo e é o único desfalque do elenco do Lyon.

O confronto entre Guingamp x Lyon acontece nesta quarta-feira (17/01), às 16h do horário de verão de Brasília. No Brasil, o SporTV2 deve transmitir a partida, ao vivo. Abaixo, confira os relacionados pelos dois times.



LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: Ferland MENDY, Kenny TETE e RAFAEL;
ZAGUEIROS: Jérémy MOREL, Mouctar DIAKHABY e MARCELO;
VOLANTES: Tanguy N'DOMBÉLÉ, Jordan FERRI e Lucas TOUSART;
MEIAS: Houssem AOUAR e Nabil FEKIR;
ATACANTES: MEMPHIS Depay, MARIANO Díaz, Bertrand TRAORÉ, Maxwel CORNET, Myziane MAOLIDA e Amine GOUIRI;
TÉCNICO: Bruno GÉNÉSIO;
DESFALQUES: Fernando MARÇAL



GUINGAMP:

GOLEIROS: Marc-Aurèle CAILLARD e Karl-Johan JOHNSSON;
LATERAIS: Pedro REBOCHO, Jordan IKOKO e Franck TABANOU;
ZAGUEIROS: Christophe KERBRAT, Jérémy SORBON e Felix EBOA EBOA;
VOLANTES: Mustapha DIALLO, Lebogang PHIRI e Étienne DIDOT;
MEIAS: Nicolas BENEZET, Thibault GIRESSE, Yeni N'GBAKOTO e Ludovic BLAS;
ATACANTES: Jimmy BRIAND, Marcus THURAM e Yannis SALIBUR;
TÉCNICO: Antoine KOMBOUARÉ;
DESFALQUESDenis PETRIC, Jonathan MARTINS PEREIRA, Lucas DEAUX, Abdoul Razza CAMARA e Marcus COCO


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

domingo, 14 de janeiro de 2018

Lyon fica no empate contra time da zona do rebaixamento e vê chance da vice-liderança escapar

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Angers visitou o Groupama Stadium para jogar defensivamente, arrumou um gol logo cedo e acabou conseguindo o que queria: arrancar algum ponto




Com o fim de 2017 e 2018 chegando, o Lyon já avançou na Copa da França – após virada sofrida diante do Nancy – mas agora voltava aos gramados, desta vez, pela Ligue 1, onde entrou em campo na 3ª colocação, mas podendo ultrapassar o Monaco, que acabou empatando no sábado, dando uma brecha ao OL para poder assumir a vice-liderança isolada. Caso perdesse, o Lyon embolava tudo novamente e, agora, com o Marseille também na mesma somatória de pontos. Por outro lado, o time do Angers só tinha um único objetivo: vencer para sair da zona de rebaixamento. E uma vitória já era o suficiente.

Em campo, para bater o Angers, o Lyon foi com força máxima. Bruno Génésio tinha dois desfalques que voltavam de lesão: Bertrand Traoré e Mariano Díaz. O primeiro, já em condições, faz sua volta pelo time B, por enquanto, já o segundo ainda passa por fase de recondicionamento físico. Em campo, Génésio apostou nos brasileiros hoje. Rafael, Marcelo e Marçal começavam em campo. Além deles, Maolida ganhava mais uma chance entre os titulares, substituindo, claro, Mariano – ausência já citada. A torcida, no entanto, lamentava a ausência de Ndombélé, que começava no banco. Veja como ficou escalado:




Stéphane Moulin também tinha poucos desfalques para o jogo de hoje, um para ser mais preciso: o centroavante Goran Karanovic. Mas isso não era um problema para o treinador, que tinha inúmeras opções ofensivas para o duelo de hoje. Opções estas, que eram o ponto forte do time alvinegro – que hoje vestia verde -, que não vem bem na competição mas, ainda assim, tinha um forte elenco e que poderia incomodar, principalmente no ataque, reunindo nomes como Toko Ekambi e Tait, que começavam jogando, além de Enzo Crivelli, Guillaume e Ketkeophomphone, que iniciavam no banco. Veja abaixo como ficou montado o time de Moulin:




Não é segredo para ninguém que o Lyon começaria pressionando bastante o Angers, amassando sua defesa e fazendo impor seu estilo de jogo, contra um outro que se propõe a defender. E foi isso que aconteceu nos primeiros minutos. Génésio só não esperava um time de Moulin completamente bem postado. Era uma defesa muito bem montada e que impunha muitas dificuldades ao Lyon, que já sentia falta de Mariano Díaz.

Tudo indicava, portanto, que seria um ataque contra defesa. Mas toda defesa também tem contra-ataque. E o OL não contava com isso logo cedo. Em um piscar de olhos, o Angers já estava dentro da área adversária e Fulgini acabou sendo derrubado por Jérémy Morel. Pênalti claríssimo e perfeitamente bem cobrado pelo artilheiro Toko Ekambi, que deslocou Lopes e abriu o placar sem problemas. 1 a 0!

Antes dos 30’ de jogo, e depois de Toko Ekambi assustar de novo a defesa do OL em contra-golpe, os donos da casa conseguiram boas oportunidades. A primeira foi com Memphis Depay pelo lado esquerdo. O holandês fintou o defensor, chegou até a linha de fundo e Marçal não conseguiu antecipar o goleiro para finalizar. No minuto seguinte, Memphis cruzou bola de escanteio na cabeça do brasileiro Marcelo, que conseguiu finalizar, mas por cima. O goleiro Butelle já estva vendido no lance.

Com uma marcação implacável, o Angers não dava muitas opções ao adversário. O Lyon tentou por boa parte pelo centro, mas ali estava bastante povoado e dificultava muito as incursões. A ideia começou a vir pelos lados e, mesmo ainda não sendo tão perigoso, as melhores oportunidades eram criadas a partir dessa estratégia... Mas os laterais apoiando pouco e com Fekir e Memphis se desdobrando para abrir espaços, era uma briga quase em vão.

Outra situação que complicava o Lyon era a troca de passes para achar um buraco no sistema defensivo adversário. Quando a bola ficava rodando no centro, por várias vezes, algum defensor errava um passe de pouco metros e, além de complicar a jogada com a posse de bola, também acaba possibilitando o ataque adversário, geralmente puxado por Tait ou Toko Ekambi e que, quase sempre, também dava muito trabalho.

Ainda antes do intervalo, o Lyon se desesperou e já não conseguia trabalhar a posse de bola com calma, como fazia no início do jogo. A estratégia era ter o domínio, abrir para quem estivesse dos lados do campo e, quase que imediatamente, um levantamento para a área – que ninguém acaba chegando. Em suma, as jogadas eram desperdiçadas em uma ideia que soava mais como desespero do que algo estrategicamente pensado.

Na volta para o segundo tempo, tudo aquilo que o Lyon não conseguiu no primeiro tempo, resolveu rapidamente na volta. Parece que a conversa no vestiário foi boa, uma vez que Fekir conseguiu empatar o jogo com dois minutos do retorno da etapa final. A jogada começou nos pés de Rafael, que cruzou na área e achou Cornet. Ele fintou o zagueiro, cortou pra dentro da área e Fekir apareceu para roubar sua bola e já finalizando no canto de Butelle. 1 a 1!

Poucos minutos depois, o Angers tentou responder. E mais uma vez na típica jogada de contra-golpe que funcionou até bem, de certo modo, no primeiro tempo. Toko Ekambi, novamente, teria a oportunidade de colocar seu time na frente mas, apesar de belíssima assistência que cortou todo o gramado, mas na hora de finalizar, o centroavante afinou para o goleiro do OL, se assustou, e finalizou de forma rasteira, pra fora.

Aos 17’ da etapa final, a primeira troca no jogo. O laociano Billy Ketkeophomphone entrou no lugar de Pierrick Capelle, justamente tentando visar essa questão das rápidas jogadas no contra-ataque, que ainda era o que restava ao time visitante. Mas foi o Lyon quem assustou novamente. Em cruzamento vindo da direita, a bola passou por todo mundo e chegou pra Memphis Depay que, de cabeça, finalizou para Romain Thomas tirar em cima da linha.

Depois desse lance, os dois times trocaram. No Angers, saiu Fulgini para a entrada de Enzo Crivelli, voltando de lesão. No OL, foram duas trocas ao mesmo tempo, saindo Memphis Depay e Myziane Maolida para as entradas de Tanguy Ndombélé e Amine Gouiri. Certamente, o OL colocando opções mais viáveis ofensivamente em busca da vitória em casa, que – como já foi citado – era importantíssima.

Faltando cerca de dez minutos para o término da partida, Stéphane Moulin mexeu pela última vez, colocando Enzo Crivelli no lugar de Angelo Fulgini. Nenhuma das trocas do Angers fez efeito, mas a coisa complicou depois que Flavien Tait, bom meio-campista do time alvinegro acabou sendo expulso depois de ver o segundo cartão amarelo. O Lyon tinha cerca de seis minutos para tentar uma virada com um a mais em campo.

No fim da partida, Ndombélé e Gouiri justificaram suas entradas. Com atuações bem verticais, buscando o gol a todo instante, os dois acabaram sendo os que mais criaram no finzinho, com Ndombélé tendo uma chance de fora da área desperdiçada em bom chute de canhota e Gouiri recebendo na área e finalizando a queima roupa no goleiro. Mas tudo isso não foi o suficiente para o Lyon terminar com a vitória. O empate foi o resultado final!

O Lyon agora mantém suas atenções para o Campeoanto Francês. Seu próximo adversário será o Guingamp, no Stade du Roudourou, às 16h do horário de verão brasileiro do próximo dia 17, quarta-feira. O jogo é válido pela 21ª rodada da Ligue 1. Até lá!

FOTOS: olweb.fr
CAMPINHOS: L'Equipe


OS GOLS DA PARTIDA:

Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

sábado, 13 de janeiro de 2018

[Ligue1 17/18] 20ª rodada - Lyon x Angers

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


FOTO: groupama-stadium.com

O retorno da Ligue 1, iniciando os trabalhos do segundo turno, já trouxe resultados expressivos na tabela. O Monaco acabou ficando com o placar zerado diante do Montpellier na rodada, enquanto o Marseille venceu. Isso significa, que caso o OL vença nessa 20ª rodada, a vice-liderança pode aparecer de forma isolada para os comandados de Bruno Génésio que, ainda assim, enxergam o líder PSG com muita distância, em uma missão praticamente impossível de ser conquistada. Sendo assim, o segundo colocado torna-se um trunfo importante.

Jogando em casa, o Lyon enfrentará o Angers, que é o atual vice lanterna da competição. Em seu elenco dos convocados, Bruno Génésio acabou deixando duas peças de fora em função de lesão. Bertrand Traoré, retornando de um problema na coxa, integrará o Lyon B, já Mariano Díaz, que também se recupera de problemas físicos, ainda está no processo de recondicionamento físico e deve aparecer, quem sabe, somente na próxima rodada. De resto, o time do Lyon vai com força máxima para encarar o adversário.

Já Stéphane Moulin também tem poucos desfalques. Apenas do centroavante Goran Karanovic, por lesão. Ainda assim, o time do Angers é frágil, mas não significa que seja ruim, principalmente na parte ofensiva, onde reúne nomes como Ketkeophophone, Sunu e Toko Ekambi. Ainda tem o retorno do centroavante Crivelli e do capitão Traoré, que acaba sendo um incentivo ao grupo. O time alvinegro, mesmo em posição desconfortável, não vive um dilema de vida ou morte ainda. Basta uma vitória para saírem da incomoda zona e, exatamente por isso, devem encarar o o Lyon com fome em busca dos três pontos, que podem ser essenciais para eles neste segundo turno.

O confronto entre Lyon e Angers acontece neste domingo (14/01), às 14h do horário de verão de Brasília. No Brasil, o SporTV e a ESPN Extra devem transmitir a partida, ao vivo. Abaixo, confira os relacionados pelos dois times.



LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: Fernando MARÇAL, Ferland MENDY, Kenny TETE e RAFAEL;
ZAGUEIROS: Jérémy MOREL, Mouctar DIAKHABY e MARCELO;
VOLANTES: Tanguy N'DOMBÉLÉ, Jordan FERRI e Lucas TOUSART;
MEIAS: Houssem AOUAR e Nabil FEKIR;
ATACANTES: MEMPHIS Depay, Maxwel CORNET, Myziane MAOLIDA e Amine GOUIRI;
TÉCNICO: Bruno GÉNÉSIO;
DESFALQUES: MARIANO Díaz



ANGERS:

GOLEIROS: Mathieu MICHEL e Ludovic BUTELLE;
LATERAIS: Abdoulaye BAMBA, Vincent MANCEAU e Nathan VITRÉ;
ZAGUEIROS: Mateo PAVLOVIC, Ismaël TRAORÉ e Romain THOMAS;
VOLANTES: Angelo FULGINI, Pierrick CAPELLE, Prince ONIANGUÉ, Baptiste SANTAMARÍA e Thomas MANGANI;
MEIAS: Loïc PUYO e Flavien TAIT;
ATACANTES: Billy KETKEOPHOMPHONE, Enzo CRIVELLI, Gilles SUNU, Karl TOKO EKAMBI e Baptiste GUILLAUME;
TÉCNICO: Stéphane MOULIN;
DESFALQUESGoran KARANOVIC


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!